A região belga da Flandres publicou novas diretrizes orientadoras às autoridades locais que recomendam os 30 km/h como o limite padrão para zonas residenciais. Mas a decisão final sobre quais limites aplicar caberá sempre às autoridades locais e não será exigida pelo governo.

Em Espanha, os 30 km/h tornaram-se, em maio de 2021, o limite padrão a nível nacional, em vias de sentido único em áreas urbanas e houve pressão na Bélgica para a implementação de uma política semelhante desde a assinatura da declaração de Estocolmo sobre segurança rodoviária que diz que os limites de 30 km/h devem ser exigidos em áreas onde utentes vulneráveis da estrada se misturam com o tráfego motorizado.

As diretrizes flamengas dizem que as zonas predominantemente residenciais devem ter um limite de 30 km/h, enquanto as estradas onde o fluxo de tráfego é mais importante devem ter um limite de 50 km/h, desde que haja uma infraestrutura segura para peões e ciclistas. As diretrizes também dizem que, se não houver separação física entre utentes da estrada ‘ativos’ e tráfego motorizado, o limite de 30 km/h continua a ser a melhor opção.

Várias vilas e cidades da Flandres já introduziram um limite de velocidade de 30 km/h na maioria da sua malha rodoviária. No entanto, apenas uma pequena proporção de estradas de 50 km/h, geridas regionalmente em áreas urbanas, atualmente têm ciclovias separadas. Como as novas diretrizes não são vinculativas, não está claro qual será o efeito.

O número de utentes vulneráveis da estrada mortos na Flandres em 2020 aumentou em relação ao ano anterior.