Desde 13 de dezembro de 2021, ninguém pode aceder à rede de transportes de Londres com uma trotineta elétrica privada ou monociclo (bicicletas elétricas dobráveis são permitidas). Tal foi anunciado pela TfL (Transport for London), o consórcio que reúne todos os transportes públicos da capital britânica (autocarro, metro, comboio, elétricos, etc.).

Como explicado pela entidade, razões de segurança justificam esta decisão, uma vez que ocorreram vários incêndios nas instalações da TfL causados por esses dispositivos elétricos quando na posse de alguns passageiros que usavam a rede de transportes londrina. Após tais incidentes, a TfL abriu uma investigação em junho de 2021, a qual apontou que as baterias de lítio defeituosas desses dispositivos explodiram inesperadamente, causando uma nuvem de fumo tóxica. A TfL considerou que se isso acontecesse numa área fechada (como uma carruagem de metro ou num autocarro) poderia prejudicar outros passageiros, bem como causar ferimentos quando tentarem escapar do local.

Muito perigoso no transporte público

Lilli Matson, Chefe de Segurança, Saúde e Meio Ambiente da TfL, afirmou: “A nossa principal preocupação é sempre a segurança de nossos clientes e funcionários. Estamos extremamente preocupados com os recentes incidentes nos nossos serviços de transporte público, que envolveram incêndios intensos e consideráveis danos.”

Do Corpo de Bombeiros de Londres, a medida foi aplaudida: “Estamos cada vez mais preocupados com a segurança das trotinetas devido ao número de incêndios que vemos estarem envolvidas, por isso apoiamos totalmente a proibição da TfL. Os incêndios são perigosos e assustadores sempre que acontecem, mas um incêndio na rede de transporte tem o potencial de se tornar muito sério muito rapidamente e envolver centenas de pessoas.”

Atualmente em Londres, não há regulamentação sobre trotinetas elétricas, por isso a TfL ressaltou que a sua decisão está sujeita a possíveis medidas regulatórias que as autoridades aprovem no futuro para este tipo de dispositivos.