Os novos modelos de automóveis ligeiros e pesados, de passageiros e mercadorias lançados no mercado da UE/EEE a partir de 6 de julho devem estar equipados de série com várias novas tecnologias de segurança. O Conselho Europeu de Segurança nos Transportes saúda este marco, mas salienta que os padrões para duas das novas tecnologias estão aquém do necessário e precisam ser revistos ​​com urgência.

De acordo com o ETSC, os padrões mínimos para a Assistência Inteligente de Velocidade (ISA) podem levar os fabricantes a construir veículos com um sistema ISA que tenha benefícios de segurança limitados e que acabe por cansar os condutores. Isto porque a especificação legal mínima permite apenas um alerta sonoro, potencialmente irritante que combinado com informações de velocidade imprecisas devido a sistemas que usam somente um sistema de reconhecimento de sinais recorrendo a uma câmara sem backup na forma de um mapa digital com limites de velocidade.

A entidade europeia também alertou que os padrões técnicos finais para as “caixas negras” nos veículos, também conhecidos como Gravadores Eletrónicos de Dados (EDRs), deixarão os dispositivos praticamente inúteis para os pesquisadores de segurança. Isto porque as especificações proíbem o registo de informações de hora, data e localização – o que é essencial para reconstruir os factos de um acidente rodoviário. O ETSC diz que as especificações para EDRs devem ser revisadas o mais rápido possível.

Antonio Avenoso, Diretor Executivo do ETSC comentou:
“O dia 6 de julho é um salto gigantesco para a segurança dos veículos na Europa, que salvará milhares de vidas no futuro. Mas apesar desta grande vitória para a segurança rodoviária, existem alguns autogolos. A Assistência Inteligente de Velocidade, um dos sistemas que salvam vidas com maior potencial, foi severamente enfraquecido e as novas caixas negras nos veículos serão praticamente inúteis para os pesquisadores de segurança. A segurança dos veículos está em constante avanço e não há razão para que estes padrões não possam ser revisados ​​e atualizados num futuro próximo. Achamos que tal é essencial”.

Saiba mais sobre segurança nos veículos

Saiba mais