Início | PRP

Quem somos

A PRP é uma associação privada, sem fins lucrativos, de duração indeterminada e reconhecida pelo Governo como instituição de utilidade pública. É uma referência a nível nacional e internacional tendo alargado a sua ação, para além da educação e sensibilização, à formação nas várias vertentes quer de professores quer de jovens quer de técnicos ligados à construção, sinalização e conservação dos diversos tipos de vias.

Enquanto associação com vastos serviços, a PRP desenvolve a sua atividade maioritariamente na área do Fator Humano prestando serviços de formação, educação, sensibilização, consultoria, auditorias e inspeções, bem como investigação para entidades públicas e privadas e sociedade em geral.

A Prevenção Rodoviária Portuguesa (PRP) foi fundada, em 1965, por iniciativa da sociedade civil, como resposta à gravíssima situação que começava a sentir-se em Portugal, em termos de sinistralidade rodoviária.

Desde logo o Estado compreendeu e apoiou o esforço desenvolvido por esta Associação, tanto ao considerá-la “de utilidade pública”, no ano de 1966, como ao delegar-lhe diversas responsabilidades no desenvolvimento e coordenação de várias atividades nos diferentes domínios da prevenção e segurança rodoviárias, nomeadamente no âmbito da Educação Rodoviária.

Ao longo de mais de 50 anos de existência, a PRP foi adquirindo conhecimentos, competências e experiência que lhe permitiram alargar o leque e volume das suas intervenções, e simultaneamente torná-la entidade de referência nacional, sendo sempre chamada a colaborar nas principais iniciativas desencadeadas a nível governamental, quer através da participação em grupos de trabalho e reuniões técnicas, quer na realização de ações/iniciativas concretas.

História

A Prevenção Rodoviária Portuguesa foi fundada em 1965, pelo Lyon Club de Lisboa, como uma associação sem fins lucrativos e com o objetivo de prevenir os acidentes rodoviários e as suas consequências.

Em 1966, é reconhecida pelo Governo como instituição de utilidade pública.

Já nessa altura, a elevada sinistralidade rodoviária preocupava alguns dos setores da sociedade e ao Lyon Clube de Lisboa sensibilizou-o, em particular, as crianças vítimas deste flagelo.

A PRP começa por ser uma pequena associação com apenas 6 funcionários que se vai implementando. Desde o início que uma das suas preocupações são as crianças e os jovens. Assim, nascem as Escolas Móveis de Trânsito que se deslocam às escolas de todo o país dando formação aos alunos.

Remonta também a esta época a Taça Escolar, concurso destinado a alunos do 2.º Ciclo do Ensino Básico, que foca a formação do aluno enquanto ciclista.

Desde os primeiros tempos que nos dedicámos, também, a campanhas de sensibilização. Julgamos que haja quem ainda se lembre do Mercedes num deserto que pára junto a um sinal de “STOP” e do “slogan” “STOP até no deserto é para parar”. Outras campanhas que ficaram na memória das pessoas foram “Comigo o miúdo vai sempre atrás” – referente ao transporte de crianças; “Atrás de uma bola vem sempre uma criança”, para não falarmos da célebre campanha do “Lápis” sobre a condução sob o efeito do álcool.

Timeline da Prevenção Rodoviária Portuguesa

  • 1965 – Fundação da Prevenção Rodoviária Portuguesa, pelo Lyon Club de Lisboa, como uma associação sem fins lucrativos e com o objectivo de prevenir os acidentes rodoviários e as suas consequências;
  • 1966 – PRP reconhecida pelo Governo como instituição de utilidade pública. – Escolas móveis de trânsito deslocam-se às escolas de todo o país sensibilizando os alunos para a temática da Segurança Rodoviária;
  • 1968 – Taça Escolar, concurso destinado a alunos do 2º Ciclo do Ensino Básico, que se focava a formação do aluno enquanto ciclista.

Campanhas de referência:

  • STOP” – até no deserto é para parar;
  • Comigo o miúdo vai sempre atrás;
  • Atrás de uma bola vem sempre uma criança;
  • Lápis” sobre a condução sobre os efeitos do álcool.
  • 1994 – Participação ativa na conceção e divulgação da campanha “Circular é viver”, do novo código da estrada e do Plano Nacional de Segurança Rodoviária;
  • 1997 – Primeiro curso de formação para docentes, acreditado pelo CCPFC – Braga;
  • 1998 – A PRP é acreditada como entidade formadora pelo INOFOR – na área 840 – serviços de transporte e torna-se ainda entidade formadora na área de formação de jovens ciclomotoristas/veículos de 2 rodas de 50cc.
  • 2000 – Ano de Educação Rodoviária: Iniciativa conjunta dos Ministérios da Administração Interna e da Educação. Sendo a PRP a entidade organizadora e promotora de vários eventos a nível nacional. A iniciativa teve o lançamento formal nas Jornadas de Educação Rodoviária, a 18 e 19 de janeiro de 2000, com o início de várias iniciativas, a nível nacional. Roadshow itinerante constituído por dois camiões – exposição com atividades interativas e pedagógicas para alunos dos 1º e 2º ciclos do ensino básico. Produção e distribuição da Maleta Pedagógica constituída por várias brochuras no âmbito da Educação Rodoviária para alunos dos 1º e 2º CEB e professores. Constituição do 1º e único centro de formação na área da educação rodoviária – centro de formação Educação Rodoviária e Cidadania – de intervenção nacional, acreditado pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua, e especializado no âmbito da Segurança e Educação Rodoviárias;
  • 2003 – Participação no projeto europeu – ROSE 25 – compilação das melhores práticas de educação rodoviária. Este estudo teve por objetivo proceder ao inventário e compilação de “Boas Práticas” em matéria de educação rodoviária, nos países da UE, tendo em vista a elaboração de um guia europeu, a definição de políticas a nível europeu nesta matéria e estimular a troca de experiências entre os vários países membros;
  • 2004 – Participação em 3 edições do projeto europeu – SARTRE “- Atitudes Sociais face ao Risco do Trânsito Rodoviário na Europa”.
    Tratava-se de um projeto de investigação que vinha a ser realizado periodicamente a nível europeu, com financiamento conjunto da Comissão Europeia e de entidades nacionais da área da prevenção rodoviária;
  • 2005 – Participação no projeto europeu EuChiRes (European Child Restraint Sistems). Campanha e programa sobre Sistemas de Retenção para Crianças visa sensibilizar crianças dos 4 aos 12 anos para o uso dos SRC’s e do cinto de segurança;
  • 2006 – Participação no projeto europeu SUPREME (Summary and Publication of Best Pratices in Road Safety).
  • 2007 – Participação no projeto europeu VAMOS (Volunteers Always on the Move for Road Safety) que visa o desenvolvimento de metodologias e instrumentos que permitem ma formação e implementação de uma rede de voluntários que podem desenvolver ações no âmbito da prevenção e segurança rodoviária;
  • 2008 – Participação no projeto europeu – CAST – Campaigns and Awareness-raising Strategies in Traffic Safety.
  • 2010 – Conceção, promoção de um programa único e inovador referente à velocidade constituído por várias ações tais como um website com conteúdos diversos sobre o tema velocidade, com experiências interativas nos diversos ambientes rodoviários; um roadshow, uma rede de “outdoors”, com cobertura nacional; formação em sala e à distância sobre “Velocidade no âmbito da Engenharia de Segurança Rodoviária”, com o objetivo dotar os técnicos das autarquias de competências específicas no domínio da segurança rodoviária; desenvolvimento de um manual técnico, destinado a técnicos das autarquias, engenheiros e instituições ligadas à área da infraestrutura e que foi distribuído aos participantes dos cursos. Conceção, produção e distribuição de um folheto informativo sobre vários aspetos relacionados com a velocidade, associado ao concurso “Velocidade – Sabia que?”;
  • 2011 – Integração como membro no Fórum Nacional Álcool e Saúde; Realização do Projeto 18-24 anos que visava contribuir para a redução da sinistralidade rodoviária na faixa etária dos 18-24 anos, composto com as seguintes ações: Conferência internacional, website www.prp.pt; exposição itinerante; atividades com e para jovens;
  • 2013 – Campanha “Segurança Responsável” PRP/ACP/CYBEX O objectivo deste estudo foi conhecer os hábitos dos condutores, identificar os problemas mais comuns no transporte infantil e analisar as consequências do uso incorrecto dos Sistemas de Retenção para Crianças (SRC). Conceção PESR – elaboração e implementação de Planos Empresariais de Segurança Rodoviária, baseado na análise de risco das empresas;
  • 2014 – Realização do projeto IDSR que consistia na recolha, análise e interpretação de informação obtida através da realização de observações e de um estudo de opinião, atitudes e comportamentos auto-declarados, sobre diversos indicadores referentes ao risco, desempenho de segurança rodoviária e comportamento dos utentes, tendo em vista aprofundar o conhecimento existente no domínio da segurança rodoviária. O projeto era constituído por três grandes ações que se interligam e complementam entre si, nomeadamente: realização de observações, realização do estudo de atitude, comportamentos auto-declarados e opiniões e disponibilização e disseminação dos resultados www.observatorio.prp.pt. Realização do projeto “Seja visto”- campanha para prevenção do risco de atropelamentos de noite em condições de visibilidade reduzida. Informação disponível em www.sejavisto.prp.pt;
  • 2015 – A PRP é certificada pela DGERT como entidade formadora nas seguintes áreas de formação e educação: 840 – Área dos transportes – formação de condutores para empresas; 582 – Área de Engenharia do tráfego – formação para engenheiros, arquitetos, técnicos relacionados com a infraestrutura rodoviária; 090 – Área desenvolvimento pessoal – formação na área do atendimento e da comunicação interpessoal, competências transversais à grande maioria dos colaboradores de uma organização;149 – Formação de Professores/formadores e ciências da educação – programas não classificados noutra área de formação;
  • 2017 – Atividades pedagógicas e interativas de Educação Rodoviária “Vida na estrada” – Conceção e disponibilização de atividades pedagógicas digitais e interativas subordinadas à temática da Educação Rodoviária para alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico (1ª CEB) – crianças dos 6 aos 10 anos. As atividades pedagógicas disponíveis em www.vidanaestrada.prp.pt e no canal da Meo Kids na plataforma televisão interativa, e podem ser realizadas através do comando de televisão.

Objetivos

A PRP tem por objeto contribuir por todos os meios para a prevenção dos acidentes de viação e para a redução das suas consequências, incluindo projetos que visem a promoção da saúde pública, no âmbito da segurança rodoviária e a mobilidade sustentável em transporte rodoviário.

Para a prossecução dos seus objetivos, compete à PRP nomeadamente:

a) Coligir, sistematizar e analisar os dados referentes ao trânsito rodoviário, nomeadamente os respeitantes à sinistralidade, à circulação dos diversos tipos de utentes e ao desempenho dos utentes, da infraestrutura, do parque circulante e das diversas entidades envolvidas na regulamentação e na gestão da circulação rodoviária;

b) Elaborar e colaborar na elaboração de programas de prevenção rodoviária, a nível nacional, regional e local, tendo em conta a análise das situações reais existentes;

c) Elaborar estudos específicos de carácter científico e técnico sobre os temas que se mostrarem prioritários para a prevenção dos acidentes rodoviários e das suas consequências, privilegiando as parcerias com instituições de investigação nacionais e estrangeiras e com os seus associados;

d) Promover a formação e atualização de técnicos de segurança rodoviária, de forma a satisfazer as necessidades do setor nas suas diversas áreas;

e) Conceber, planificar e implementar campanhas de prevenção rodoviária, destinadas a todos os tipos de utentes, utilizando as melhores práticas reconhecidas a nível internacional, tendo subjacente a investigação prévia e a avaliação da sua eficácia;

f) Promover as ações de educação, formação, informação, sensibilização e reabilitação que visem a adoção de atitudes e comportamentos seguros no trânsito, destinadas aos diferentes tipos de utentes do sistema de transportes rodoviários;

g) Desenvolver análises de risco através de auditorias de segurança rodoviária, nomeadamente às infraestruturas e empresas;

h) Fomentar a educação rodoviária do cidadão através da conceção de materiais pedagógicos, da colaboração com as escolas, da formação dos professores e educadores e da definição e implementação de projetos e programas de prevenção rodoviária;

i) Colaborar com entidades nacionais e internacionais na produção e procura do conhecimento na área da sinistralidade rodoviária, na aplicação das melhores práticas e na avaliação da sua eficácia;

j) Promover e desenvolver eventos técnicos e científicos de prevenção rodoviária que visem a discussão de problemáticas relevantes e a partilha do conhecimento, e fomentem a reflexão e a adoção das melhores práticas;

k) Conceber e editar manuais técnicos na área do fator humano e da engenharia de segurança rodoviária;

l) Desenvolver outras iniciativas que contribuam para a qualidade de vida dos cidadãos no domínio da circulação rodoviária, nomeadamente, as que promovam medidas de saúde pública no âmbito da segurança rodoviária ou que, nesse âmbito, visem a mobilidade em transportes rodoviários.

Presidente Vice-Presidente Vogal

António Brito da Silva

(Individual)

António Corrêa de Sampaio

(Rodoviária de Lisboa)

Pedro Rodrigo Nabeto Moreira

(EDP)

Presidente Vice-Presidente

Carlos Alpoim Vieira Barbosa

(Automóvel Club de Portugal)

Hélder Barata Pedro

(Associação Automóvel de Portugal)

Vogal Vogal Vogal Vogal

Maria Luísa Ribeiro Garcia

(Infraestruturas de Portugal)

Cristina Mafalda Mieto Guimarães Pimentel

(Câmara Municipal Porto)

José Fernando Catarino Galamba de Oliveira

(Associação Portuguesa Seguradores)

Luís Manuel Cabaço Martins

(Assoc. Nacional Transp. Rodoviários Pesados Passageiros)

Vogal Vogal Vogal

João Caboz Santana

(Correios de Portugal)

Nuno Pinto Magalhães

(Central de Cervejas e Bebidas)

Gonçalo Custal Ferreira Barral

(Essilor)

Presidente Vogal

Carlos Gonçalves Oliveira

(Continental Pneus)

Miguel Lima

(Individual)

Presidente Vice-Presidente Vogal e Diretor Geral

José Miguel Trigoso

Rosa Pita

Alain Areal

Seguindo uma filosofia de permanente procura pelas melhores práticas internacionais, a PRP é membro da Prévention Routière Internationale (PRI) e do Conselho Europeu de Segurança nos Transportes (ETSC), colaborando em vários projetos na área da prevenção e segurança rodoviárias.

A PRP é a representante nacional da Carta Europeia Segurança Rodoviária.

Podem ser associados da PRP todas as pessoas, singulares ou coletivas, interessadas, direta ou indiretamente, na prevenção dos acidentes de viação e na redução das suas consequências.

Estatutos

Quem pode ser Associado e suas categorias:

1. Existem as seguintes categorias de associados:

a) Coletivos Nível A: Pessoas coletivas que solicitem a sua adesão e que se comprometam ao pagamento de uma quota anual de € 4.490,00 (quatro mil, quatrocentos e noventa euros);

b) Coletivos Nível B: Pessoas coletivas que solicitem a sua adesão e que se comprometam ao pagamento de uma quota anual de, € 2.246,00 (dois mil, duzentos e quarenta e seis euros);

c) Coletivos Nível C: Pessoas coletivas que solicitem a sua adesão e que se comprometam ao pagamento de uma quota anual de, € 899,00 (oitocentos e noventa e nove euros);

d) Singulares: Pessoas singulares que solicitem a sua adesão e que se comprometam ao pagamento de uma quota anual de, € 45 (quarenta e cinco euros);

e) Singulares Jovens: Pessoas singulares, com idade igual ou inferior aos 30 anos, que solicitem a sua adesão e que se comprometam ao pagamento de uma quota anual de € 14,00 (catorze euros);

f) Honorários: Pessoas singulares ou coletivas que como tal sejam declaradas pela Assembleia-geral, sob proposta do Conselho Geral ou de, pelo menos, 10% dos associados inscritos, as quais ficam isentas do pagamento de quotas.

2. Os valores de quota referidos no número 2 deste artigo são anualmente atualizados automaticamente pelo valor da taxa de inflação apurada pelo Banco de Portugal referente a Dezembro de cada ano, e podem ser reduzidos por deliberação da Assembleia-geral.

3. A Assembleia-geral pode, sob proposta do Conselho Geral, criar outras categorias de associados, nomeadamente, promover a participação das camadas mais jovens nos objetivos da prevenção.

Direitos

A Prevenção Rodoviária Portuguesa informa que:

1.  São direitos dos Associados, em geral:

  • a) Utilizar os serviços da PRP, nas condições estabelecidas no Regulamento;
  • b) Frequentar as suas instalações;
  • c) Receber, gratuitamente ou a preço especial, as publicações;
  • d) Possuir documentos de identificação.

2.  São direitos especialmente reconhecidos a todos os Associados:

  • a) Solicitar pareceres técnicos sobre medidas e ações de segurança rodoviária que pretendam implementar;
  • b) Solicitar elementos sobre segurança rodoviária, em condições a estabelecer pelo Conselho de Direção;
  • c) Propor que a Associação estabeleça acordos para a realização de campanhas de segurança rodoviária, de intercâmbio de serviços ou de informações;
  • d) Confiar à Associação a elaboração de estudos relacionados com o trânsito e segurança rodoviária de acordo com as condições previamente definidas pelo Conselho de Direção;
  • e) Dispor de condições especiais no pagamento de serviços a serem prestados pela PRP;
  • f)  Usar a menção “Associado da PRP” e o logotipo da Associação em campanhas de comunicação e imagem;
  • g)  Eleger e ser eleito para os órgãos sociais;
  • h) Ser convidados como patrocinadores em ações com a PRP;

3.  São, ainda, direitos especialmente reconhecidos aos Associados coletivos de Nível A:

  • a) Promover reuniões nas instalações da Associação, destinadas ao tratamento de questões ligadas ao setor profissional em que atua e com reflexos na segurança rodoviária, sob a égide e com o apoio de técnicos dos serviços da PRP;
  • b) Ser consultado com carácter de prioridade em termos de parceria em ações desenvolvidas pela PRP.

Deveres

Prevenção Rodoviária Portuguesa informa que:

1.  São deveres dos Associados:

  • a) Pagar, atempadamente, as respetivas quotas;
  • b) Prestar todo o auxílio e colaboração nas atividades da PRP;
  • c) Observar e respeitar todas as resoluções dos órgãos sociais da PRP desde que conformes à lei e aos Estatutos;
  • d) Fornecer os elementos que lhes sejam solicitados, que não se possam considerar confidenciais, e sejam necessários à atividade da PRP;
  • e) Exercer os cargos sociais para que sejam eleitos, salvo razões ponderosas, a apreciar pela Mesa da Assembleia Geral.

A PRP continua a desenvolver contactos e iniciativas junto do poder e da população local de forma a consolidar paulatinamente a presença da instituição na Ilha nas áreas da formação, educação, sensibilização, investigação e consultoria.

Responsável:

Nélio Olim

Delegado para a Região Autónoma da Madeira

Rua Dr Fernando Rebelo, 32 – 9020-406 Funchal

Tlm. 911 111 990

Tel fixo. 291603073

Email: prp.madeira@prp.pt, nelio.olim@prp.pt

Conheça a nossa história através das nossas campanhas

A Prevenção Rodoviária Portuguesa é membro:

Acreditamos que a cooperação e a partilha de conhecimento e experiências são essenciais para a atividade de qualquer associação. Seja a nível nacional ou a nível internacional, a PRP colabora com as mais diversas entidades a fim de unir esforços no combate à sinistralidade rodoviária.